concurso CBCA

USO habitação de interesse social

ÁREA DO TERRENO xxm²

ÁREA CONSTRUÍDA xxm²

LOCAL São Leopoldo RS

ANO PROJETO 2014

PROJETO Vanessa De Negri e Monique Mello

ORIENTADORA Patrícia Freitas Nerbas

Finalista no Concurso Nacional de Habitação em Aço, promovido pelo CBCA (Centro Brasileiro de Construção em Aço).

ver página do concurso

LOCAL l a área escolhida está inserida na Macrozona urbana do Município de São Leopoldo, no Bairrro Duque de Caxias, e compreende as Vilas São Jorge e Labirinto. Apesar de bem localizada possui uma espécie de barreira em sua periferia, por conta do modo como foi ocupada, da baixa renda dos moradores e a densidade populacional, fazendo com que tenha pouco contato com o entorno, portanto seria favorável para os moradores se houvesse uma relação forte entre interior e exterior.
O local é protegido através do PDDUA por se enquadrar em uma Área Especial de Interesse Social I que integra o programa de regularização fundiária e urbanística com o objetivo da manutenção e regularização de Habitação de Interesse Social, sem a remoção dos moradores, exceção feita às moradias em situação de risco e em casos de excedentes populacionais.

OBJETIVOS  l  propõe-se a requalificação do local, que desde sua origem encontra-se isolado, para que o mesmo se integre ao restante da cidade. Ao analisarmos o histórico do local, identificamos a ocupação irregular da área como marco importante, resultando no que temos hoje. Com isto procuramos explorar as qualidades do local e atribuí-las ao projeto de modo que a essência do mesmo seja preservada. A ocupação da área se assumiu de forma orgânica e desordenada, agora buscamos a sua organização, respeitando o que existe, para compor um ambiente harmônico.

PROJETO  l  a disposição das residências no lote foi baseada na orientação solar – de acordo com diagramas que constam nas pranchas – de modo que se aproveite ao máximo a ventilação e iluminação naturais, reduzindo o uso de meios artificiais para proporcionar conforto térmico.
Optamos por uma construção simples, prezando pela sistematicidade e praticidade, com uso racional de espaços, materiais e energia.
Algumas estratégias de eficiência energética e conforto ambiental foram estudadas e os edifícios contarão com captadores de energia solar, bem como coletores de águas pluviais para reuso em suas coberturas. As fachadas terão meios para barrar a incidência solar, e proporcionar maior aproveitamento da iluminação e ventilação naturais.

ESTRUTURA  l  as edificações são compostas por elementos pré-fabricados (podem ser reciclados/reutilizados) montados no local, gerando uma obra limpa/seca, reduzindo o tempo de execução e o desperdício de materiais na obra.
A estrutura principal (pilares e vigas) é composta por barras de aço aparafusadas, que sustentam a steel deck. As vedações internas serão em steel frame, com montantes suportando placas de gesso acartonado, o que facilita as mudanças de layout, enquanto o fechamento externo é feito em placas cimentícias, dispensando outros tipos de acabamentos.
A cobertura de telhas metálicas é sustentada por treliças dispostas nas extremidades longitudinais das edificações, com inclinação para o eixo central onde está locada uma calha que recolhe a água da chuva para reservatórios de reuso.
As habitações são projetadas em módulos, o que gera flexibilidade na composição possibilitando diferentes layouts de acordo com a necessidade de cada morador/família.
Os prédios possuem 4 pavimentos, o que dispensa a instalação de elevador, mas foram previstos shafts de ventilação/iluminação que poderão ser utilizados para circulação vertical, caso haja necessidade.